Pular para o conteúdo

História

"No fim do século XVIII já havia garimpagem na região. A tradição oral, sem que se tenha algum documento que comprove, conta que nos primórdios da mineração foi descoberta uma grande pepita de ouro com o formato da
imagem de Santo Antônio, num remando do arroio Camaquã, que hoje banha a cidade. Por essa razão aquela garimpagem recebeu o nome de Santo Antônio das Lavras ficando como padroeiro da localidade o milagroso santo."
(Centenário Lavras do Sul. Comissão Central das Comemorações do Centenário de Lavras do Sul. Bagé: Quadra, 1982).

A Origem de Lavras do Sul é peculiar no RS e vem da mineração. A
história de Lavras do Sul está muito ligada à existência das ricas jazidas de
ouro, sendo assim o único município do Estado surgido e formado em torno
deste mineral. Há uma identificação de mais de 250 anos com a mineração.
A ocupação humana de Lavras do Sul iniciou-se através da mineração,
da distribuição de terras (sesmarias), no século XVIII, e da colonização de
diversas etnias, a partir do início do século XX, especialmente portugueses,
espanhóis, latinos e negros.

Antiga aldeia dos índios Guenoas, o território lavrense fez parte das
missões jesuíticas, começando a ser colonizado a partir do final do Século XVIII.
Segundo o livro "Município, teu nome é sucesso", de Giovani Cherini,
publicado pela Assembleia Legislativa em 2001, as terras de Lavras do Sul são
originadas de Bagé e Caçapava do Sul, que, por sua vez, pertenciam a Rio
Grande e Rio Pardo em outrora.

As disputas pelas terras conquistadas por Portugal e Espanha originaram
tratados de limites como os de Madri e de Santo Ildefonso que tiveram suas
18
linhas determinadas em documentos e posteriormente demarcadas, pois a linha
do Tratado de Santo Ildefonso curiosamente faz uma curva sobre o território do
município e as linhas dos dois tratados unem-se justamente sobre o território de
Lavras, formando assim um vértice histórico.

Estima-se na data de 1825 o início do povoamento da região, embora
portugueses, espanhóis e índios já exploravam a mineração antes disso, por
volta de 1796 (ano em que ocorreu a primeira descoberta de ouro na região),
acreditando-se terem vindo para o sul, juntamente com os bandeirantes
paulistas. A exploração do ouro (lavra) deu origem ao nome do Município, que
já teve a denominação "Santo Antônio das Lavras". A atual Igreja Matriz está
construída no mesmo local da capela originária.

O nome do Município deriva da divisão de glebas (lotes, terrenos)
destinadas à mineração (lavra) do ouro. Além disso, ao nome "lavras" foi
adicionada expressão "do Sul", por já existir um município denominado Lavras,
em Minas Gerais.

O nome oficial Lavras do Sul foi definido em 29 de dezembro de 1944. O
curioso é que o nome da cidade quase se tornou Araíuba (“lugar do ouro”), por
conta de um decreto do Governo na época, que disciplinava os nomes das
cidades de acordo com suas origens e descendências, ideia que acabou sendo
engavetada.